REGIONALIZAÇÃO DO BRASIL
Causas:   > Melhor estudo
               > Diversidade de paisagens

               > Melhor planejamento governamental
               > Diversidade demográfica

Modificações políticas:
-     De 1904 a 1945: Criação de 7 territórios: Acre, Fernando de Noronha, Amapá, Rio Branco, Guaporé, Ponta Porá e Iguaçu;
-     1946: Extinção dos territórios de Ponta Porá e Iguaçu;
-     1956: Território de Guaporé passou a se chamar Rondônia;
-     1960: Criação do Distrito Federal e do estado da Guanabara;
-     1962: Território do Acre > Estado do Acre;
     Território de Rio Branco > Território de Roraima;
-     1974: Estado da Guanabara > Integração com Rio de Janeiro;
-     1977: Divisão de Mato Grosso > Surge Mato Grosso do Sul;
-     1981: Território de Rondônia > Estado de Rondônia
-     1988: Divisão de Goiás > Surge Tocantins (reg. Norte);
          Territórios de Amapá e Roraima > Estados de Amapá e Roraima
          Território de Fernando de Noronha > Anexado a Pernambuco (distrito)
                              Configuração atual: 26 estado e 1 distrito federal

> Pelos projetos que tramitam na Casa, seriam criados, na Região Norte, os Estados do Tapajós, Solimões e Tapajos, Alto Rio Negro e Jupiá.
> A Região Nordeste ganharia os Estados do Maranhão do Sul, Rio São Francisco.
> O Sudeste, por sua vez, teria três novos Estados: São Paulo do Leste, Minas do Norte e Triângulo. Além disso, seria recriado o Estado da Guanabara.
> No Centro-Oeste, seria o Araguaia.
> Apenas a Região Sul continuaria com os atuais três Estados: Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.
> o Centro-Sul é o cinturão agroindustrial do país. Ele é formado basicamente pelos Estados da Região Sudeste (SP, RJ, MG e ES) e Sul (PR, SC e RS) pelos Estados de Goiás, Mato Grosso do Sul e o Distrito Federal, que formalmente compõem a Região Centro-Oeste;
>
nele encontramos áreas onde ocorreu uma verdadeira industrialização da agricultura agricultura, com uso o de máquinas, adubos e fertilizantes, e a especialização da produção, nas chamadas empresas rurais;

>
o Centro-Sul possui a melhor infra-estrutura viária do país. A intensa circulação de produtos e de pessoas, feita por uma densa rede de rodovias e ferrovias, revela a forte integração e o dinamismo de sua área interna;

>
também é a área mais urbanizada do Brasil, não só devido à industrialização, mas destacadamente pela migração campo-cidade cidade, resultante de uma modernização da agropecuária.
> o Nordeste é a área geoeconômica de povoamento mais antigo e de estrutura sócio-econômica solidamente enraizada no passado agrário-exportador, e permaneceu como a região de maior concentração de renda no Brasil;
> boa parte do atraso do Nordeste pode se explicado pelo pacto regional que domina a economia e a política da região;
> a associação entre grandes proprietários rurais e comerciantes, que define o domínio agrário-mercantil, tem revelado uma capacidade extraordinária para se manter, apesar da industrialização regional;
> a proposta de industrialização regional promovida pela Sudene facilitou a integração produtiva do domínio agrário-mercantil nordestino à economia nacional;
> os impactos dos grandes projetos sobre o Nordeste ainda são restritos. Há, no entanto, efeitos externos que não são controlados pelos grandes projetos. O mais importante deles é o surgimento de movimentos reivindicatórios sociais e ecológicos
.
> a Amazônia assume hoje a expressão básica das fronteiras, em que o governo federal assumiu diretamente a iniciativa de sua efetiva ocupação e integração à economia nacional, implantando redes técnicas em tempo acelerado;
> a construção de Brasília e da rodovia Belém-Brasília marcou a abertura da fronteira de recursos do Norte ao dinâmico centro nacional do Sudeste;
> essas iniciativas abriram verdadeiros vetores de expansão na área da floresta, que estimularam tanto a colonização dirigida como a espontânea;
> os núcleos urbanos estão restritos às áreas ao longo das principais rodovias. Zonas de criação de gado e agricultura comercial situados nas margens da floresta foram criados ao longo da Belém-Brasília, favorecendo o crescimento de Belém;
> em 1967, criou-se a Zona Franca de Manaus e estabeleceram-se diversas fábricas montadoras de produtos eletroeletrônicos;
> da estratégia de ocupação regional resultaram também intensos conflitos sociais e ecológicos, entre índios, garimpeiros, colonos, grandes empresas e outros;
> a efetiva inserção da Região Amazônica no cenário econômico nacional deve estar baseada nas propostas de desenvolvimento sustentável.
Divisão por IDH