Geografia do Brasil - Indústria

 

1. Quanto ao modelo industrial brasileiro, é possível afirmar que:
I - utiliza principalmente tecnologia desenvolvida no exterior nos processos produtivos.
II - tem, como base, empresas de capital estrangeiro, as chamadas transnacionais.
III- usa intensamente mão-de-obra de baixa remuneração em suas linhas de produção.
IV - é dominado pela produção das indústrias de base, em detrimento dos bens de consumo.
Assinale a alternativa correta.
a ) I, III e IV estão corretas.
b ) I, II e IV estão corretas.
c ) I, II e III estão corretas.
d ) II, III e IV estão corretas.

 

2. No Brasil, a participação do trabalho feminino no setor secundário já foi maior que nos dias atuais. Essa diminuição pode ser explicada, entre outros fatores, pela

a) mudança na estrutura industrial, com a menor participação dos ramos tradicionais, como o têxtil, o de vestuário e o alimentício.

b) monopolização masculina do trabalho industrial, decorrente das inovações tecnológicas.

c) diminuição da importância dos ramos química e eletrônica, tradicionais empregadores de mão-de-obra feminina.

d) manutenção da estrutura industrial e monopolização do trabalho masculino.

e) manutenção da estrutura industrial e do desenvolvimento tecnológico.

 

3. O processo de industrialização brasileira encontrou, no Centro Sul do país, principalmente em São Paulo, os elementos indispensáveis ao seu desenvolvimento: mão-de-obra assalariada, mercado consumidor, eletricidade, sistema de transportes e excelente sistema bancário. Sobre esse processo, é INCORRETO afirmar que

 

a)   a concentração da produção industrial brasileira ocorre, desde os seus primórdios, em São Paulo.

b)  a elevada concentração industrial em São Paulo gerou uma deseconomia de escala, responsável pela desconcentração espacial das indústrias, a partir de 1970.

c)   o processo de desconcentração espacial das indústrias paulistas gerou um surto de industrialização no Nordeste e no Sul, equilibrando assim a produção industrial por regiões.

d)  o crescimento industrial nas diversas regiões do país passa, a partir dos anos 70, a ser promovido pelos governos estaduais e federal, através de incentivos.

e)   as atividades industriais concentram-se, atualmente, em São Paulo, tendo as outras regiões do país como mercados consumidores, de acordo com a lógica da acumulação capitalista.

 

4. Quais das características enumeradas abaixo aplicam-se à atividade industrial no Brasil na última década?
I - Hegemonia do capital privado nacional.
II - Crescente participação do Estado na economia industrial.
III - Inauguração do processo de substituição das importações de manufaturados.
IV - Acentuada internacionalização da economia.
a) I e II
b) I e III
c) I e IV
d) II e III
e) II e IV

5. No período pré-industrial brasileiro, quando a economia nacional era dominada basicamente pelas atividades agrícolas de exportação, a organização do espaço geográfico era do tipo:

 A)    Centro e periferia, com um espaço nacional integrado;

B)     Centro na Zona da Mata nordestina e a periferia em São Paulo, com fortes relações de troca que favoreciam o centro;

C)    Semelhante aos dias de hoje, mas sem trocas de bens industriais;

D)    Em que a região amazônica e a Centro-Oeste exerciam o papel de centro, juntamente com a região Nordeste;

E)     Áreas isoladas ou “arquipélagos”, onde não havia um espaço nacional integrado.

 

6 - (Unirio) A tendência à desindustrialização dos grandes centros urbanos tem traçado novos rumos para o desenvolvimento regional. Indústrias tradicionais do Sul e Sudeste se transferem para o Nordeste buscando compensações. Assinale a opção que representa um fator de atração para as indústrias do Sul e do Sudeste.

 a)   Mão-de-obra especializada.

 b)   Maiores benefícios fiscais por parte dos governos estaduais nordestinos.

 c)   Proximidades dos maiores centros consumidores do país.

 d)   Existência de pólos industriais com infra-estrutura econômica e tecnologia.

 e)   Concentração de empresas fornecedoras de matérias-primas, equipamentos e peças.

 

7. O valor da produção industrial brasileira, em determinados anos deste século, é mostrado no quadro a seguir:

 

Unidades da Federação

Valor da produção industrial (%)

1907

1919

1930

1970

1990

Rio de Janeiro

37,8

28,2

14,0

15,5

8,4

Minas Gerais

4,4

5,6

6,5

7,1

8,3

São Paulo

15,9

31,5

46,4

57,2

51,4

Demais Unidades

41,9

34,7

33,1

20,2

31,9

Fonte: "Anuário Estatístico no Brasil". IBGE, 1992.

 

Considere as informações contidas neste quadro e analise as proposições:

 I - O Estado de São Paulo tornou-se a Unidade da Federação responsável pela maior parcela do valor total da produção industrial brasileira.

II - O Estado do Rio de Janeiro manteve sua participação inalterada.

III - Minas Gerais repetiu o desempenho de São Paulo.

IV - Os dados mais recentes indicam a redução do valor da produção industrial de São Paulo, porém continua o predomínio da região Sudeste.

 Assinale a opção que avalia, corretamente, a veracidade destas proposições:

A)    Apenas a I é verdadeira.

B)    Apenas a I, a II e a III são verdadeiras.

C)    Apenas a I e a IV são verdadeiras.

D)    Nenhuma é verdadeira.

 

8.  Embora o Brasil possa ser considerado um país industrializado, ainda não saiu da condição de país não-desenvolvido. Isso ocorre, principalmente, devido à

A) predominância de indústrias de grande porte nas mãos de restritos grupos nacionais.
B)
existência de indústrias tecnologicamente desenvolvidas que provêm de
países centrais, cujos lucros são revertidos para os países de origem.
C) predominância da participação da população no setor secundário da economia,
porém com baixos salários.
D) exigência, desencadeada pelo processo de globalização, de estatizar empresas
de grande porte.
E) mentalidade exportadora de produtos industrializados que inibe o desenvolvimento interno.

  

9. A maior concentração industrial, no Brasil, acha-se na Região Sudeste. Uma das fortes razões para isso é:

(A) A chegada dos imigrantes japoneses à região em meados deste século.
(B) O patrimônio adquirido com a venda de produtos minerais como ferro, manganês e carvão.
(C) A solidificação de uma base pecuarista criada em torno de grandes áreas rurais.
(D) O aumento das exportações de produtos agrícolas bem diversificados, após a crise do café.
(E) O acúmulo de capitais obtidos com a lavoura do café e aplicado às atividades industriais.
 

10. A localização espacial das usinas siderúrgicas de grande porte, no Brasil, subordinou-se

(A) à localização das matérias primas, mercado consumidor e rede de transportes.
(B) ao planejamento governamental de suas instalações.
(C) à presença de fontes de energia .
(D) à ocorrência dos depósitos de carvão e minério de ferro.
(E) ao processo de urbanização e desenvolvimento da rede ferroviária.

11.
  Com relação ao processo de industrialização brasileiro, todas a afirmativas estão corretas, exceto:

a)  Criou um sistema industrial dependente das transnacionais.

b)  Iniciou-se em 1808, com a vinda da Família Real.

c)  Em 1960, com a implantação de projetos com capital externo, o Brasil produz bens de consumo duráveis.

d)  A partir de 1930, indústrias de base são implantadas com capital nacional, objetivando a formação da infra-estrutura industrial.

e)  A indústria brasileira, por ser antiga, teve fases oscilantes entre o capital nacional e o capital estrangeiro.

 

12. É característica das indústrias brasileiras na atualidade:

a)  De cada 10 indústrias criadas no Brasil, 6 são estatais e estão localizadas na região sul.

b)  O processo de  produção concentrado, onde as indústrias realizam todas a fases da manufatura, ganha importância no Brasil.

c)  A região sudeste detem mais da metade das indústrias do país devido a oferta de mão-de-obra barata e matéria-prima.

d) Na região sudeste, destaca-se como centro industrial os grandes centros urbanos e a ligação SP-BH, pela rodovia “via Dutra”.

e)  Atualmente, as regiões sul (Paraná) e o nordeste (Bahia) são capitadoras de indústrias.

 

13. Na década de 70, a indústria brasileira teve grande progresso. Nessa mesma década, o mundo viveu duas crises do petróleo, base da economia industrial. Sobre as fontes de energia no Brasil, é correto afirmar que:

a)  A crise do petróleo  prejudicou muito o setor industrial, pois a energia mais utilizada no Brasil é o petróleo.

b)  O programa Pró-álcool surge nesse contexto, para que não houvesse perda na produção industrial.

c) Com a crise, espalha-se no sudeste usinas termelétricas, aproveitando o carvão mineral local.

d) O programa nuclear só aparece na década de 90, com o intercambio tecnológico entre Brasil e Alemanha.

e) A crise do petróleo provocou grande déficit na Balança Comercial, pois o Brasil é grande importador desse produto.

 

14. Entre as décadas de 50 e 70, as ações governamentais que tinham, entre seus objetivos, a integração do território nacional, promoveram uma pequena redução nas fortes desigualdades econômicas existentes no Brasil.
Entre as razões que permitiram a redução das desigualdades regionais, encontram-se as relacionadas abaixo, EXCETO:
(A) a criação de pólos de crescimento regional, como a Zona Franca de Manaus.
(B) a concessão para a exploração da infra-estrutura energética e de telecomunicações.
(C) a política fiscal que oferecia incentivos aos investimentos feitos nas áreas de fronteira.
(D) a construção, pelo Estado, de rodovias de integração inter-regional, como a Belém-Brasília.
(E) a atuação das superintendências de desenvolvimento regional, como a SUDENE.

 

15.Na década de 90, iniciou-se no Brasil o processo de transferência da infra-estrutura territorial e de segmentos importantes do setor produtivo para a iniciativa privada. Indique, na relação a seguir, o setor que NÃO participou desse processo.
(A) Ferroviário
(B) Siderúrgico
(C) Farmacêutico
(D) Telecomunicações
(E) Mineração

 

16. "As estruturas estatais no mundo moderno se construíram em torno de um território nacional. Esse foi o parâmetro básico da atuação dos Estados, embora não o único. O Estado desenvolvimentista brasileiro não fugiu a essa regra e delineou o perfil do Brasil atual. Mal ou bem, criou-se por conta da arquitetura estatal um conjunto de interesses nacionais que por vezes se opõem, mesmo que de modo frágil, aos interesses estrangeiros. Na verdade, isso é comum a todas as nações modernas."

Extraído de OLIVA, Jaime. GIANSANTI, Roberto
Temas da Geografia do Brasil. São Paulo: Atual, 1999.

No Brasil, estamos assistindo ao desmonte desse Estado desenvolvimentista. Dentre os argumentos favoráveis a esse desmonte, podemos citar:
I - O desenvolvimento socioeconômico não pode ser pensado a partir da dimensão nacional devido à crescente globalização da produção.
II - O desenvolvimento encontra-se no mercado e na integração econômica mundial, já que as empresas tomam decisões e operam recursos segundo uma lógica de integração mundial.
III - Para a integração mundial, é necessário remover os obstáculos que dificultam a presença dos interesses da economia global.
IV - O território será mais atraente quanto mais vantagens competitivas apresentar ao capital externo.
Estão corretas as afirmativas:
(A) I e III.
(B) II e IV.
(C) I, II e III.
(D) II, III e IV.
(E) I, II, III e IV.

 

17. Assinale a alternativa que NÃO indica uma característica da economia brasileira, na passagem do século XX para o século XXI.
(A) A economia brasileira ocupa uma posição de liderança na América Latina, mas se sujeita às exigências e sanções de órgãos internacionais que atuam no controle das finanças internacionais.
(B) A economia brasileira tem recursos naturais e mão-de-obra qualificada para as exigências do modelo de produção flexível, mas carrega no cenário internacional o estigma de país subdesenvolvido.
(C) A economia industrial brasileira é diversificada e mesmo avançada em alguns setores, mas dependente de capitais produtivos e capitais financeiros internacionais.
(D) A economia brasileira está aberta à nova ordem internacional, mas tem dificuldades com a alta competitividade e o protecionismo dos países de economia mais avançada.
(E) A economia brasileira está entre as dez maiores economias do mundo, mas exclui grandes parcelas da população dos benefícios da modernização.

 

18. (UEL/PR) Curitiba e Blumenau destacam-se, respectivamente, pelas indústrias:
a) têxtil/química e alimentar.
b) de couro/alimentar.
c) química/têxtil.
d) vinícola/de couro.
e) madeireira e móveis/têxtil.

 

19. (UFMG) A cada região corresponde uma especialização industrial. A alternativa errada é:
a) Recôncavo Baiano (BA) — indústria química.
b) Quadrilátero Ferrífero (MG) — indústria metalúrgica.
c) Zona da Mata (PE) — indústria extrativa mineral.
d) Oeste Catarinense (SC) — indústria de carnes.
e) Encosta de Planalto (RS) — indústria vinícola.

 

20. (U.F. DIAMANTINA/MG) As indústrias que fabricam produtos duráveis ou não, e que são consumidos diretamente pelas pessoas, são denominadas:
a) de bens de produção.
b) de bens de consumo.
c) de bens de capital.
d) intermediárias.
e) de base.